A Polícia Civil de Tauá prendeu na tarde de ontem (19), um homem acusado de sequestrar e manter em cárcere privado por cerca de quatro dias, uma adolescente de 14 anos, da inicial 'L'. O caso aconteceu no Bairro José Ósimo em Tauá.

Segundo familiares a garota havia saído de casa no último dia 16, e desde então estava desaparecida, sendo encontrada somente nesta quinta(19), quando o acusado identificado como Francisco Felipe Pereira Belizário, mais conhecido como Felipe Belizário, já com diversas passagens pela Polícia, acabou sendo preso.

O caso

Na última segunda-feira (16), a mãe da adolescente fez uma postagem nas redes sociais, Facebook e grupos de WhatsApp, denunciando o desaparecimento da filha. Ontem, ela conseguiu localizá-la e avisou a Polícia Civil. Uma equipe composta pelo Delegado Adriano Queiroz, inspetores Barbosa e Cristiano, foi até o endereço informado e conseguiu prender o sequestrador. Belizário ainda tentou fugir pulando do primeiro andar do prédio onde reside na Rua Valdizar Alexandrino, mas acabou dominado e preso pelos policiais civis.

A mãe da menina relatou que ela saiu de casa na garupa da motocicleta do acusado, e o que de princípio parecia ser um simples namoro acabou se transformando num sequestro,  cuja vítima foi obrigada a manter relações sexuais com o acusado e ficou impedida de sair do local pelo período de quatro dias, até ser libertada na tarde de ontem.  Segundo a mãe da jovem, o sequestrador exigia a quantia de R$ 1000,00 para libertá-la.

Em depoimento da Delegacia a adolescente informou que o Felipe Belizário também comercializava drogas. De volta ao apartamento dele, a Polícia Civil encontrou três pequenas porções de entorpecentes. Caracterizando tráfico de drogas. 

Segundo o Delegado Adriano Queiroz que comandou a operação, faziam apenas doze dias que o acusado tinha deixado a cadeia na cidade de Sobral, onde respondia um caso Maria da Penha e cárcere privado, fato acontecido em Tauá. Na Delegacia Belizário foi autuado por sequestro, estupro de vulnerável é tráfico de drogas.

O Delegado já representou junto ao Judiciário pela prisão preventiva do acusado que encontra-se recolhido ao xadrez da Delegacia. 

Repórter: Lindon Johnson

 

0 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA